Sanguinho Novo... Arnaldo Baptista Revisitado (1989)

Numa terra em que a memória vale tanto quanto um tostão furado, Arnaldo Baptista (carisma e cerne dos Mutantes, a síntese do rock´n´roll anos 60 no Brasil) conseguiu o feito de ser homenageado - ainda vivo! - nessa coletânea que reuniu alguns dos mais significativos valores da nossa nova música para interpretar as suas composições. Dos seus LPs pós-1974, Loki? sempre foi o mais cultuado, daí a surpresa de vê-lo retomado por apenas três dos treze participantes. O mérito pela cessão do maior número de faixas coube a Singin´ Alone, ficando o material restante por conta dos clássicos feitos à época dos Mutantes. Mestre na autodilaceração perplexa, Arnaldo teve aqui algumas de suas melhores baladas vertidas de forma exemplar. Assim, Maria Angélica e o Último Número, respectivamente, criaram climas similares para "Te Amo Podes Crer" e "I Fell in Love One Day", ambas descerebrando guitarras e fazendo do feeling vocal seu fio condutor. Ainda neste nicho encontramos a "bossanóia" de "Cê Tá Pensando que Eu Sou Loki? "com o Fellini (Cadão Volpato irrepreensível), o lirismo exacerbado dos 3 Hombres em "Dia 36" e o tratamento jazzy-cabaret que Paulo Miklos deu a "Superfície do Planeta" - só, ao órgão, o titã relembrou o pioneirismo de Arnaldo Baptista no uso do Hammond no país. Anomalias, detonações: na ala "Ave Lúcifer" o Sepultura conseguiu um resultado único: ser fiel à melodia original de "A Hora e a Vez do Cabelo Nascer" e, ainda assim, reduzi-la a átomos pela pressão dos amps Marshall. Como talvez dissesse o próprio Arnaldo, "uma lenha!". Não menos duras, porém sem tanto impacto, temos "Jardim Elétrico" (Ratos de Porão), "Bomba H sobre São Paulo" (Vzyadoq Moe) e "Sitting on the Road Side" (Atahualpa I Us Panquis). Correndo por fora, encontramos uma tríade singular: o rap sinuoso de Skowa ("É Fácil"), a tecno-transfusão de Akira S e as Garotas Que Erraram ("Sanguinho Novo") e o pop parafrênico do Sexo Explícito ("O Sol"). Apuradas todas as diferenças, triunfa a obra de Arnaldo Baptista: intensa, infinda, atemporal.
(Texto: Mr Bad Guy)

01. Sexo Explícito - O Sol
02. 3 Hombres - Dia 36
03. Vzyadoq Moe - Bomba H Sobre São Paulo
04. Sepultura - A Hora e a Vez do Cabelo Nascer
05. Último Número - I Fell in Love One Day
06. Paulo Miklos - Superfície do Planeta
07. Akira S & As Garotas Que Erraram - Sanguinho Novo
08. Ratos de Porão - Jardim Elétrico
09. Fellini - Cê Tá Pensando Que Eu Sou Lóki?
10. Atahualpa I Us Panquis - Sitting on the Road Side
11. Skowa - É Fácil
12. Maria Angélica - Te Amo Podes Crer

Opções para download: badongo (1) • badongo (2) • fullalbumsmaxalbums4shared

Site: arnaldobaptista.com.br

MAIS INFORMAÇÕES

Um comentário:

Alex Sotto disse...

Rapá...
Tenho isso em vinil!!!

Alex Sotto